Cachorro na piscina: pode ou não pode? Saiba a resposta!

Cachorro na piscina: pode ou não pode? Saiba a resposta!

Quando o verão chega e a família viaja sempre vem aquele questionamento: cachorro na piscina pode? E então, qual será a resposta?

Ahhh verão, sol… quem é que não gosta? E quando as temperaturas começam a subir a primeira coisa que vem na mente é a piscina e como é bom se refrescar dando um mergulho.

E se nós humanos sofremos com o calor, com os cachorros – especialmente os mais peludos, não seria diferente! Eles se sentem incomodados boa parte do tempo e estão sempre em busca de maneiras de se livrar dessa sensação. Se estiverem em um ambiente extremamente quente, é perigoso chegarem a ter hipertermia (aumento da temperatura corporal do animal)

Sabemos que muitos donos têm a grande dúvida “posso deixar meu cachorro entrar na piscina?” e a resposta é: SIM! Os cachorros podem sim se refrescar junto com a família, mas é preciso seguir alguns cuidados para que a diversão não acabe em consultas ou emergências. Para saber quais são eles e mais um pouco sobre esse assunto, continue a leitura!

Quais os principais cuidados dos cachorros na piscina?

O mais ideal e o mais seguro é que o cachorro consiga entrar e sair da piscina sozinho, para que ele possa ter autonomia. Existem algumas escadas e rampas especiais para tornar a piscina acessível para os cãozinhos, mas enquanto esses aparatos não chegam na sua casa, é muito importante ficar de olho no seu cachorro e quando perceber que ele está cansado você deve tira-lo da piscina.

Separamos abaixo algumas dicas para tornar esse momento de diversão totalmente protegido.

  • Certifique-se que todas as vacinas estejam em dia: que os cachorros devem ser vacinados e tomar todos os vermífugos ainda filhote para assim pode andar pelo chão e ter contato com outros animais e ambientes, isso todos já sabemos. Porém, isso também é válido quando se trata de cachorro na piscina, se ele não estiver com a proteção em dia, o ideal é que ele não entre na piscina, para que assim não contraia nenhuma doença.
  • Não jogue o cachorro na piscina: além do grande risco dele se machucar gravemente, jogar seu pet na piscina pode causar um susto tão grande que ele pode ficar traumatizado e ninguém quer que isso aconteça. Vá com calma, coloque ele aos poucos até ir se acostumando.
  • Não presuma que o pet sabe nadar: a fama de que cachorro já nasce sabendo nadar é bem grande, tanto que existe até um nado dedicado a eles. Mas nem todos nascem com essa habilidade, eles na verdade nascem com o instinto de se movimentar na água, assim como nós. Por isso, nunca o coloque na água e saia de perto, cachorro na piscina é necessário muita supervisão, principalmente em raças que sejam braquicefálicos, como Shih-tzu ou cães com patinhas curtas como Dachshund.
  • Respeite os horários e a exposição ao sol: Sabe aquela velha história sobre só ir ao sol antes das 10h e depois das 16h? Ela também vale para os cachorros! Essa “regra” existe, pois, das 10h às 16h, o nível de radiação UV é maior, sendo melhor evitar esse período para que o cãozinho não se canse rapidamente, não fique com queimaduras e o proteja do câncer de pele.
  • Aplique e reaplique protetor solar: Outra regra básica de quando vamos a piscina é usar bastante protetor solar. E claro que esse cuidado também é válido para os cães. Atualmente existem alguns protetores próprios para pets que não possuem nenhum componente tóxico para eles e que devem ser aplicados nas áreas com menos pelos, como no focinho, orelhas, barriga, linha da coluna e ao redor dos olhos, para que ele não sofra com queimaduras. Os filtros infantis também são uma boa saída.
  • Evite dar alimentos antes de mergulhar: Não é recomendado que o cachorro coma antes de entrar na piscina, isso pode fazer com que o dog passe mal ou tenha até uma congestão. O indicado é entrar na piscina cerca de 3 horas após de comer para não ter nenhum risco.
  • Invista em uma peitoral ou um colete salva-vidas: Para os cães que não estão acostumados a entrar na piscina, uma boa dica é colocar uma peitoral ou um colete salva-vidas. Assim, se eles se cansarem ou tiverem alguma dor ou cãibra, você pode puxa-lo com mais facilidade, fazendo também com que os cães tenham contato com a água, mas permaneçam flutuando sem risco de afogamento. 
  • Não deixe seu cachorro beber água: Por conta do calor e da sede, seu pet pode acabar bebendo água da piscina em algum momento, então é importante ficar de olho para que isso NÃO aconteça! Assim como para os humanos, essa água é imprópria para o consumo dos cachorros, já que possui uma quantidade de cloro bem acima do recomendado, o que pode provocar vômitos e diarreias.

Quais cuidados eu devo ter após meu cachorro sair da piscina?

Depois da diversão tem alguns cuidados importantes que devem ser seguidos para seu pet fique seguro.

O primeiro cuidado recomendado é que o pet tome um banho completo, com shampoo e condicionador apropriados, assim todo o cloro vai ser removido do pelo, diminuindo o risco de dermatite.

Após isso, é hora de dar atenção para as orelhas, ouvidos e patas do seu cão. Essas partes devem ficar bem secas para evitar fungos, dores no ouvido e algumas sujeirinhas que podem acabar acumulando. Além disso, mantenha a pelagem dele bem limpinha e se observar qualquer sinal de alergia ou reação estranha no corpo do pet, leve-o ao veterinário e passe a evitar o contato do animal com a piscina.

Então, vemos que cachorro na piscina pode sim, desde que com muita segurança e supervisão. Muitos deles amam, então a diversão é garantida!

Siga as nossas dicas e lembre-se, para entrar na piscina, o pet deve estar em perfeito estado de saúde. Agende um check-up para ele na clínica Pets House, para garantir que ele esteja saudável e com todas as vacinas em dia!

Acesse www.petshousecentroveterinario.com.br para agendar seu horário!
Para ficar por dentro de mais dicas e informações sobre pets, continue lendo nosso blog mensal: www.petshousecentroveterinario.com.br/blog

Deixe uma resposta

Fechar Menu

Ainda não baixou o guia completo de vacinas para caês?